quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Me perdi na trilha e nas folhas




Não sei se desabafei, se desafiei.
talvez me conformei e cansei mas permanecerei
rumando, "mundando" mas sendo eu o mesmo
caminho que escolhi de tantas trilhas, tantas paisagens
falaram para eu escrever de amor e eu fui procurar 
a tal praia do amor, me perdi na trilha cerrada
visualizei tantas lagartas assustadas e eu ali
tão semelhante a uma pessoa decepcionada
acuada com o imposto, com o dito e o consumismo.
Abri um sorriso para borboleta azul 
e fitei a praia por entre os bambus. Estava lá!
Nem tão perto nem tão longe a praia do amor.
Não quis nem saber se era flor ou dor
Nem com Nem sem expectativa
Tinha que pegar a barca não pude seguir a descida.
Não ia deixar meu cão tinha que dedilhar o violão.
Estes sim fiéis! Se tratá-los bem, bons frutos comerei.
Perguntaram se eu queria vender a minha alma,
e eu respondi que apenas trocava.
Dei minha proposta( quem sabe ele gosta?) 
E riram de mim e disseram que 
nunca viram IDIOTA assim.
Me perdi no ofício da folha! 
Caminhos tortos, rasurados, molhado e borrado.
"Barro amassado porém jamais queimado" 
Me barrei, borrei quando me vi dentro do filme
dentro do livro e dentro de você.
Sorri e ri. Quero sair! Fugir me retirar! Com a bomba voltar...
Mas ter passe livre prum domingo a gente se divertir.
Uma leitura debaixo da sombra de uma árvore
Um filme que faça eu viajar como uma nave
Uma bicicleta e uma lagoa pra eu pedalar com você de leve e à toa. 
Uma pelada no "campão" de areia, pra romantizar uma fogueira.
A noite! Só ela pra me salvar...

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Casta " Transfor "

                                 Sem seiva nem sal
                                  Mundo artificial
                                  Podado Polido
                                   Tolo Tolhido
                           "Arranjadinho", "engomadinho"
                                Estéril, esterilizado
                           Controlado, neutralizado
                            Delimitado, demarcado
                                 Fictício alienado
                            Um "mundinho", um umbigo
                            Um chamado convida amigo
                            Naufragado, desiludido
                             Insatisfeito FUDIDO!
                      Incompreendido, não reconhecido
                         Pagando o couvert artístico
                        dos políticos artistas autistas
                      sem mãe, sem família, sem crianças
                            e quase sem mulheres.      
                       Instinto reprimido, ousado oprimido  
                   Por aquilo que recusa aceitar, se adaptar.
                        Se resignar?

                      Transformar a escuridão em luz
                          Espremer, expelir o pus!
                         E dar sossego, alívio, descanso
                   A solidão em compreensão de uma nação!      
           O terrível em incrível (o terrível pode ser incrível e vice e versa)
                         O incrível término do terrível
                Transforme(i) tristeza em Felicidade, claridade
                Desencanto, Desilusão em esperança Compaixão
                       Comunhão, Confraternização
                O descaso e o não importar em Ajuda, Atenção.
                 Leia! Lê! Veja! Vê! Escute, transforme se mude!
                     A melancolia em Alegria, Vivacidade!!!!
                       O desespero em serenidade.
                      O superficial em profundidade....
               Transformei, me transformei mais me transformarei.
                       Incessante Transformação    
          Transformaram, transformará, transformaremos, transformarão.
                      
                    

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Salve verdadeiros grandes irmãos!!


Seja honesto.. falsidade eu detesto
tapinha nas costas eu vou te dar é fratura exposta
Filha da puta! Própria pua!
Quer ser elite... quer se importar
Não com a fome alheia ou desigualdade social
mas se importar com o que vem de fora
Minha vodka, minha roupinha social 
O meu carro, o meu creme facial
Importado! Tô chique bem!
Que chique chique! Fresco que dá chilique!

Pergunto se vai me aguardar no portão!
Claro que sim, diz pra mim. Retorno solidão!
Por quê não disse que não?
Respeitaria, levaria numa boa. Entenderia...
Que tem coisa à fazer. Ou simplesmente não querer.
TUdo bem... Mas dizer que sim e agir que não
Por favor Não! Pra mim palavra é palavra!
Só prometa só o que vai cumprir!

Falaram que morreu... Apenas que o dia morreu, escureceu...
Logo em seguida, questão de segundos, muitos perguntam:
Quem morreu? Como ? Causa? 
E ninguém tem uma e ninguém se preocupa 
Ninguém quer culpa nem o repetitivo ninguém
Só quer saber pra se meter, especular, fofocar
Distorcer, repassar um conto virar.

Esse ano lá em casa, não se ligou televisão
Não por excentricidade mas por adversidade 
E só de passar na rua e em toda lugar tem uma
Sei que ontem começou big brother E sei 
que o Ronaldinho Gaúcho no Flamengo vai jogar

Big Brother: - Sou uma pessoa persistente, guerreira, batalhadora,
pau pra toda obra, sou humilde, sou simples, sou discreta não quero fama,
Estou no Big Brother pra ajudar minha família e pessoas queridas...
Sou muito solidária, uma vizinha aleijada que muito me ajudou...
Quero retribuir porque a vida é partilhar... Meu cachorro é manco...
Meu gato cego... Minha vó esclerosada, Minha mãe foi assassinada...
Me criei sozinha... sustento meu pai que tem incontinência urinária 
Ganhando apenas um salário...( que salário?)
Me ajude Brasil! ( história triste e blá blá blá) 
Não estou aqui pra julgar, mas posso desconfiar...
Te mando a conta, pensa que me engana? ( O preço da sua alma)
10000000000000000000000000000000000000000000000000000000
Imensurável o seu valor... Pense antes de se vender, se perder...
Nunca poderia participar de um Big Brother, me sinto preso e controlado aqui fora
POde até ser Neurose, paranóia paranóica delirante, mas um outro bom motivo
é por lá só ter gente foda! Que se diz... E eu não me digo nada, estou sempre 
me surpreendendo(comigo mesmo), sendo defeituoso imperfeito
Tipo um Chucky do brinquedo assassino! Sorrir pra fazer o merchandising
Do sabão que não tirou a mancha de hipocrisia. Um brinde à nossa! 
Vão ganhar quantos Bigs? E quantos brothers? Nessa gaiola, fogueira de vaidades.
É interessante, engraçado. Se você observar e prestar atenção além
das caras, bundas, invejas e intrigas vai ver como somos Bicho!
Pedro Bial se diverte o verdadeiro ganhador de todos e se quiser de todas.
Quem tá lá tem seu preço. Não é julgamento. Apenas observação! Vai dizer que não?
Eu sou o idiota em criticar o Big Brother, afinal de contas "todo mundo assiste".
Tô fora de moda! Obsoleto! Em breve será assunto popular
Mercado, shopping, praia, praça, mesa de bar, qualquer lugar.
Até em escritórios em qualquer trabalho, em todo jornal.
Com certeza vou escutar, aguentar e superar.

" E aprender a dar valor às pequenas coisas como a minha família". 
Porque grande mesmo é o meu umbigo e a infecção do meu... deixa pra lá...
Piercing?? Cérebro?? Deixa pra lá mesmo é meu charme e o piercing não é nem mais segredo
Eu sou sister bêinnnn!! Se liga ai.. E quem tá escrevendo isso aqui é um invejoso de mim...( huahuahuaha)

Quero promoção!! DAne-se escrúpulos!! Não importa o como de minha ascensão!!
Quero ser popular, ganhar um carro popular, qualquer prova aguentar...
Posso até me humlihar nas entrelinhas e simbologia de uma brincadeira...
E falar pro meu Brasil: - Amo vocês !! Um beijôôÔô!! Amo vocês família, amigos, multidão!!
BEijôÔ!!Não é beijo do gordo é da gostosa mas eu vou pro Jô!!Um beijo pra você também Jô!!
 Mas isso só porque estou na televisão...Porque tenho nojo de  gordo,suor e aglomeração...
Vou me maquiar, celebridade vou virar, personagem vou inventar, vão me criticar, vão me adorar,
Me desejar e até se masturbar pensando em mim. 
Graças aos gênios da produção com cameras submersas
Provas fazendo eu me esticar, vulgarizar e eu gosto de aparecer
Mas vou chorar, fazer drama, teatro só pra te comover
Na festinha que vai ser chique com sua temática! 

Cheia de ice pra eu me liberar e falar muita sacanagem, talvez até fazer se rolar oportunidade.
Viva a libertinagem!! Viva a promiscuidade!! E quando eu ganhar vou agradecer à Deus o passaporte pra Playboy 
O objeto que me tornei e vou dizer amém!!
Mas o big brother tem seu lado muito interessante. As relações humanas, o instinto selvagem humano.
Quem nunca assistiu nem que por 5 minutos?? 
1 milhão é apenas um grão do que gera...
Vou fazer o meu big brother, vou para uma praça com um pedaço de pão e vou ver quem é o pombo 
felizardo vencedor. GAnhador, Cagador. 
Rato voador, bicho imundo!! O homem que (lhe) sujou!!

OBS: ( Sei que está uma merda, estou me sentindo um merda, o tempo que perdi escrevendo essa merda de texto.. mas é isso!! Se foi esse lixo que escrevi é esse lixo que vou postar, ser honesto! E mal e bem concordo com o que escrevi, mas deveria ficar calado. Mesmo sem televisão . Andando pela rua percurso de 2 km escutei 3 grupos falando de Big Brother, como diria Zagallo, o Big Brother diz pra mim: - VocÊ vai ter que me engolir !!.. ahuahuahuahuhu  O bom é isso.. ri de si mesmo.. O idiota sou eu!!) 

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Abrindo os olhos: O Tudo ou Nada da programação

Um sono de sem ânus e acordo
no meio da defecação social umbilical
Dificuldade para descolar as pálpebras
pelo tempo que adormeci
formou uma camada de estagnação.
Uma leve película poeira em descaso, descanso
Acumulação, idéias em lentidão
Atraso do acaso por acaso, coincidÊncia?
variante vunerável X Y Z
Os últimos serão os primeiros
de um novo começo. O tempo urge!
Se nada tivesse sentido
O nada não existiria
Muito destes se encontram implícitos
Para dar vida à mistérios
TAlvez mais tarde saberemos
E iremos rir de nós mesmos, ou não...
Seremos chacota, O motivo: Humana derrota!
O nada só é nada por ter um sentido: Vazio!
Me deparei com uma caixa com um vidro na frente
observei e perguntei o que era.
Me falaram: É uma televisão !!
POrtanto vendo... Por qualquer vintém
Para comprar caneta e papel
E criar algo que vão censurar
POr falar verdade vou me vender Me alimentar
e a engrenagem, meus rebentos precisam de sustento
nossa hipocrisia escrevendo em graus
a pontuação do ibope, a estipulação do horário
cada vez mais curto, mais rápido.
Controladora ditando sem vocÊ sentir
NOciva como uma erva te sequela e aliena
De leve ao longo dos anos com o passar do tempo
Sem sentir e vocÊ dizendo que não
Levantando bandeira para o duvidoso
bata palma pro diabo mas vá na missa ao domingo
PRogramas secundários, segmentados imitados
Gorduras, loiras, papagaios, narigudos têm de tudo!
Não no pejorativo, tudo é válido, tudo faz parte!
E o sentido do tudo?? Mais amplo?? Imensurável??
Tudo distorcido... Nada determinado...
Cada um com seus conceitos e valores
De desprendimento e integridade moral ou pessoal
E reina a confusão, a desorientação
COnsolida minha desilusão. Nada adianta
Caminho de mal a pior. Tudo com validade
Pergunto às horas... Que susto! Levanto de súbito
Estou atrasado, mas ainda é tempo
Palavra é palavra! Me visto estou listo
Tô indo pra rua, informal e nem um pouco social
Por essa merda de fornecimento me tornei
o que nem eu sei, nem tudo, nem nada
E continuo na minha constante transformação
Exacerbando minha essÊncia, o caminho é esse!
Desvios, atalhos, voltas, retardatalhos, Retardado Eu!
Esperto lançado ao incerto da abstração
Fico abismado, tudo diferente. A moda de horas atrás
está obsoleta, ficou, se tornou, não cabe à mim saber
Não sei nem de mim... Mas dizem as mais(más) línguas
( vários sentidos esses mais e más, como queira)
Dizem que aquela música é coisa da bivó
Aquela mesmo que cultuavam verão passado
Hoje tiram sarro, fazem pouco, fazem trapo
O quÊ dava um barato, hoje é menenice, mesmice.
QUe povinho enjoadinho que enjoa fácil
época, moda, fase, a caixa te influenciando, controlando
A maioria das pessoas não sabem lidar com as diferenças
Resolvi ser mais uma, só de sacanagem.
São fechadinhas e restritas em seus mundinhos
Não abraçam a totalidade e a troca de culturas
O quÊ da a liga, o sabor a gostosura.
Cheias de certezas e separações.
Cegas não enxergam formas grotescas de preconceito.
Abra os olhos o preconceito pode estar em você.